Ministério da saúde da gestante adverte: não grite com o potinho

26/08/2009 blogdagravida
Tags: , , , , , , , ,

Na montanha-russa de sensações da gravidez há umas descidas apavorantes, que parecem não ter fim. Mas eu achava que o percurso recheado de ladeiras havia terminado no primeiro trimestre. Não. Enquanto a bagunça dos hormônios durar, certamente haverá razões para me esvair em lágrimas. Hora seguidas, com pausas de alguns segundos para assoar o nariz e respirar. Litros de lágrimas derramados mesmo quando ninguém consegue enxergar qual é a razão para tanto choro e nem eu mesma sei apontar algum motivo concreto. Por que

peito e bundas imensas; coxas alargadas; incapacidade de dormir uma noite inteira sem acordar para fazer xixi; falta de sexo; não alcançar os dedos dos pés; pernas inchadas; flatulência; manchas no rosto; preocupação constante com a saúde e o desenvolvimento do bebê; nove quilos a mais para carregar; medo do parto; pavor de hospital; ansiedade pela chegada do bebê; insegurança em relação ao desempenho como mãe; medo de não poder /saber amamentar; pavor de sentir dor; perda do equilíbrio; ameaça de gripe suína; cãimbras; gravidez com fortes restrições orçamentárias; prisão de ventre; inabilidade para fazer tudo o que fazia antes com a mesma rapidez e eficiência; dores nas costas; entre outros…

não são exatamente motivos para uma pessoa chorar. São?

Certamente foi o grito com o potinho que provocou esse derramamento infindável de lágrimas. Por que quando ele pergunta O que foi? e eu respondo sinceramente: Não sei, não é nada, é tudo, ele não acredita e não entende:

– Mas você ainda está assim por que eu gritei com o potinho? Amor…para de chorar.

E quando alguém diz pra eu parar de chorar, por que é que eu choro mais ainda?

Melhor seria conseguir parar de chorar e dizer algo como:

– É, eu fiquei com dó do potinho.

Pelo menos faria algum sentido. Haveria uma razão visível. A verdade é que tinha sido um dia muito feliz. Havia conversado com amigas reais e virtuais, tinha tomado um bom café da manhã. Não estava mais tão frio e o sol aparecera para finalmente secar a roupa do varal. Meu bebê havia recebido uma dúzia de roupas novas e lindas da vovó e eu estava animada com a festa de aniversário do meu irmão. Mas uma nuvenzinha havia me acompanhado o dia todo, tentando nublar o dia ensolarado. Primeiro fingi que não vi. Depois balancei a cabeça e liguei o ventilador, tentando dissipá-la. Ainda estava um pouco impressionada com o relato de uma amiga que teve um parto meio sofrido e difícil. Estava aliviada por saber que ela e o bebê já estavam bem, em casa, em segurança, mas de alguma forma aquela história havia deixado uma manchinha de tristeza na minha alma branquinha de gestante feliz de propaganda do Omo Dupla Ação.

E a tal nuvenzinha foi crescendo e se aproximando cada vez mais. Na TV, uma notícia sobre um recém-nascido jogado no lixo e uma grávida que morreu de gripe suína. Outra amiga que teve nenê há três meses liga e reclama pelo telefone que o marido não está ajudando em nada, que ela está enlouquecendo, que o bebê ficou doente, não havia leite suficiente, que ela não dorme direito há duas semanas. Entre os e-mails está a notícia de que o novo contrato de $erviço que eu esperava fechar esta semana não deu certo (e eu contava com a grana para comprar um berço novo, em vez de aceitar aquele móvel que já tem uns sete anos de uso e a a sogra cisma em oferecer duas vezes por semana).

Então no meio dessa ameaça de temporal, o marido chega para jantar. Me atrapalhei com o horário mais uma vez e nada está pronto. Ele disfarça, finge que está tudo bem, mas claro que ficou chateado. Fiquei muito mais que ele.

Quando foi que eu me tornei tão incapaz de administrar uma casa e organizar tarefas tão simples quanto cozinhar uma panela de arroz e grelhar um bife?

Tenho vontade de sentar e chorar, mas seguro. Me sinto feia, gorda e não vou ganhar dinheiro nenhum este mês para ajudar com as contas. Será que nem a droga do jantar eu posso servir no horário para colaborar com quem estava ralando lá fora o dia todo para que eu pudesse ter minha gestação em paz? A nuvem se aproxima.

O jeito carinhoso dele me deixa ainda mais triste. Eu não faço o jantar e ainda ganho beijo. Eu sou péssima. A nuvem cresce.

E ele está com cara de quem enfrentou um dia péssimo no trabalho. Mas não fala nada, não reclama. A barreira de segurança para manter a grávida fora da rede de notícias sobre o ambiente profissional carregado de nervosismo e cobranças foi erguida e ele não ousa atravessá-la, para o bem da mamãe e do bebê. Muito protetor, muito lindo. Mas nem sendo assim tão cuidadoso, encontra o jantar pronto na hora certa. Eu sou péssima. A nuvem está quase tão gorda quanto eu.

Ele disfarça, diz que tudo bem, que vai comer qualquer outra coisa e apanha um potinho de amendoim no armário.  O potinho cai no chão e os amendoins vão parar em todos os cantos da cozinha: embaixo da geladeira, do fogão, da mesa.

– CARALHO, QUE PORRA DE POTINHO MALDITO!!! OLHA SÓ QUE SUJEIRA!! QUE MERDA!!!

A tempestade cai sobre minha cabeça. Começo a chorar e não paro mais. Sei que os gritos não são comigo. Sei que os palavrões não são para mim. Em qualquer outra ocasião eu teria abraçado esse homem tão maravilhoso e dito: “ei, o que há, se abre comigo, o que tá acontecendo?”

Por que eu sei que se um frágil potinho consegue provocar tamanha ira,  alguma coisa está errada. Talvez no trabalho. Talvez na conta bancária. Talvez sejam os mesmos motivos que têm me feito perder o sono nos últimos meses: será que vamos dar conta de cuidar direito deste bebê? Estamos preparados? Teremos dinheiro suficiente? Seremos bons pais? Algum dia faremos sexo selvagem como antes?

Mas a barreira de proteção em volta da gestante sensível não permite que um homem tão forte tenha dúvidas ou medos. Muito menos problemas no trabalho ou com a conta bancária. Ele nunca diz nada, não reclama, não procura minha ajuda. Então acaba sobrando para o potinho. Mas os gritos desencadeiam uma sequência de raios e trovoadas e o temporal desaba.

– O que foi? Por que tá chorando?

– Não sei. Não é nada, é tudo. Assustei.

– Amor, é só um potinho…não precisa chorar.

E a enxurrada me carrega ladeira abaixo. Lavar o rosto e pensar em outra coisa ajuda por algumas horas e funciona como uma rolha para bloquear a torneira de lágrimas. Mas assim que ele adormece ao meu lado, convencido de que o ataque de choro passou, levanto e me arrasto até o sofá.  Choro até cochilar, então acordo e ainda estou perdida no meio daquela nuvem escura. Sinto o bebê mexer e digo a ele que está tudo bem. Mas ao escutar minha voz tremida começo a chorar de novo. Lembro do dia em que conheci aquele homem lindo, o começo do namoro, o casamento, a decisão de ter um filho e logo me vem a imagem do parto..snif..a ameaça da gripe suína..chuif… medo de morrer no hospital,…snif.. de não saber amamentar..chuif..de nunca mais emagrecer… de não ser uma boa mãe…chuif..snif… de não ter dinheiro para pagar uma boa escola…essa porcaria de sistema público de ensino…e a gente paga tantos impostos…será que vai faltar dinheiro este mês?…snif…chuif…eu perdi aquele contrato…li hoje sobre o preço das vacinas…não queria aquele berço velho…será que meu bebê vai ser saudável?…buááááááááááááá

Não sei se foi a dificuldade para respirar enquanto chorava ou se foi o desconforto do sofá: logo estou cheia de ondas de gases que circulam pelo meu corpo e não encontram a saída. São como grandes agulhas que penetram minhas entranhas. A cada movimento do bebê a situação piora. Abro a porta e vou caminhar no quintal, no meio da madrugada, mão acariciando a barriga.  A luz da varanda projeta minha imagem gorda e descabelada na parede. Sinto os nós do tecido da calcinha de algodão extra G por baixo da camisola imensa e confortável. Um arroto. Uma lágrima. Outro arroto. Muitas lágrimas. A noite fria, o silêncio (menos na hora dos arrotos, é claro), a solidão. Como foi que eu vim parar aqui????? Buáááááááááá

Ah é…foi culpa do potinho.

Anúncios

Entry Filed under: Gestação,Histórias de grávida,Sintomas da gravidez,Vida doméstica

34 Comments Add your own

  • 1. alessandrapilar  |  26/08/2009 às 21:10

    E se eu falar que é normal e que vai passar você com certeza vai me jogar o tal potinho na cabeça, né? Então chora. Às vezes é disso que a gente precisa e não tem como não fazer. E depois de chorar tudo tenha a certeza que vai estar tudo bem, que amanhã é outro dia. E se precisar desabafar com as amigas, mesmo que virtuais, estamos aí. Sei o que você tá passando por que já passei igual!!!
    bjinhos querida!

  • 2. Patrícia  |  26/08/2009 às 21:15

    A culpa é sempre do potinho, rs. Mas grávida é assim mesmo, temos altos e baixos e ficamos mais choronas (claro q eu chorava escondido senão meu marido me chamaria de frouxa)rs. É normal ficarmos preocupadas e ansiosas, afinal tudo é novo e nossas vidas mudaram totalmente, mas com certeza vc vai se sair bem, não é nenhum bicho de 7 cabeças, pode tirar por mim, nunca tive jeito nenhum com criança, de bebê então nem chegava perto, e hj me considero uma ótima mãe, me viro muito bem sozinha com minha filha, e com vc não será diferente =)

    beijos =***

  • 3. thais rosa  |  26/08/2009 às 22:10

    putz… eu também fiquei um turbilhão durante a gravidez, chorava muuuuuito… jogava minhas inseguranças às vezes de forma cruel nas costas do maridão… até que um dia ele desabou também, e me disse de toda a fragilidade e todo o turbilhão que existiam dentro dele também… acho bacana sua sensibilidade de sacar isso sozinha! E, sabe do que mais: melhor não ler nem assistir jornal durante a gravidez, evitar sogras insistentes e mais ainda recém-paridas e mães de primeira viagem desesperadas… rá! mas, falando sério, você deve estar linda grávida, as escatologias só pioram depois do parto, aproveita a falta de trampo pra descansar, não encana com o berço, que eu pirei tanto com esse assunto e hoje acho que devia ter colocado um colchãozinho em um estrado no chão, tipo um futton, teria facilitado tanto a minha vida… e por aí vai!!! as nóias de grávida são FODA, mas são um ótimo test drive para as nóias de mãe, que nos devoram com tudo!!!
    força aí mulher!!!!
    beijo

  • 4. Maria Fernanda  |  26/08/2009 às 22:46

    Menina!!!
    Adorei teu post, como vc consegue ser tão hilária com tudo isso? Tua forma de escrever é muito envolvente, não dá vontade de parar de ler!
    Parabéns!
    Bjus

  • 5. Cacau  |  26/08/2009 às 23:00

    Menina do céu, quanta coisa! Deu vontade de chorar aqui por você!!!
    O único consolo que nós temos é que passa né? Vai passar, e depois a gente ainda sente uma saudade danada desse estado interessante.

    Beijos e obrigada pela força lá no comentário, parece que vc já é mãe de 15! hahaha

  • 6. Mariana  |  27/08/2009 às 0:18

    Coragem sua escrever tudo isso aqui. Vai ter gente que vai dizer que é frescura. Mas eu entendo perfietamente.

  • 7. Lu Boury  |  27/08/2009 às 4:30

    mulher, não sei se te consola mas acho que você narrou minha vida. não é possivel! penso o mesmo, que estou enorme de gorda, me sinto horrorosa, sem auto estima, me perco nos horarios e acabo nem fazendo uma simples janta pro meu gordo que chega cansado e stressado do trabalho e ainda assim, nao reclama nem me incomoda com seu dia. vai la e cozinha um miojo! dá vontade de chorar só aí né? rs ainda mais nessa fase, choramos por tudo, tudo mesmo..chega a ser irritante. eu digo, Gab vou chorar..ele diz: óuunn amor, vem cá! e eu realmente choro. heheh se digo, faço. mas nao é controlavel. Mas força na peruca amiga, sei que há dias em que a tristeza assola agente de uma forma avassaladora e parece que o Mundo não tem solução pros nossos problemas enormes de dor nas costas, pernas e bundas enormes, falta de sexo, etc. Mas já está acabando e logo mais o nenem estará nos seus braços, com aquele cheirinho gostoso e com as roupinhas lindas que ele ganhou! Que delicia, não vejo a hora de ter a minha no meu colo e isso já me alivia. fica bem!!!!

  • 8. Amanda  |  27/08/2009 às 9:46

    Como diz meu médico (que da primeira vez eu quis estrangular, mas que agora é motivo de riso) é assim mesmo, não tem nada que a gente pode fazer e no final vai piorar um pouco… Só outra grávida para entender o que você está falando, eu já me descabelei por tanto pouco, desesperei por cada coisa besta, que o que parece é que nessa fase perdemos a noção da realidade ou não sabemos mais o que é verdadeiro ou falso. Mas, como diz meu médico, é assim mesmo, não tem nada que a gente pode fazer, e no final vai piorar… Beijocas

  • 9. Débora  |  27/08/2009 às 10:56

    Passo por isso quase que semanalmente…e te entendo mto bem….o que me conforta é que vai passar!!!
    Bjosss e força!!!

  • 10. Liza  |  27/08/2009 às 11:06

    Te entendo bem. Nao eh uma fase facil, costumo dizer que fomos sequestradas por hormonios e tudo eh motivo para nos deixar assim sensiveis, chorosas, carentes. Sei que nao vai adiantar, mas palavra de quem passou uma gravidez longe da familia, sem amigos, num frio de doer os ossos, sem convenio medico e ilegal num pais estranho e que depois passou os ultimos 2 meses longe do marido morando na casa da sogra (ou seja um milhao de potinhos para me fazer chorar, ne?): isso tudo passa. Forca, coragem e se precisar conte com o meu carinho.
    Beijos

  • 11. Lilis  |  27/08/2009 às 12:22

    É assim mesmo…. E o pior é que a gente sabe que tudo isso é por conta da gravidez mas essa fase é mesmo de sentimentos muito intensos. Não dá nem pra acreditar mas eu morro de saudades. Mesmo gorda e com toda a insegurança normal do momento estar grávida é mágico.

  • 12. greice  |  27/08/2009 às 13:34

    grávida amiga, que perrengue! Eu acho que não cheguei nesse nível hormonal não! Rs. Mas te entendo. Eu não chorava por nada, mas com o jornal na tv sempre. Aí parei de ver jornal, nem deixava me contarem nada triste…
    Quanto ao seu marido, acredite: ele deve olhar pra você carregando o filho dele e deve te achar uma heroína por isso. Duvido que ele tenha essa crítica toda, isso é da nossa cabeça.
    Beijos

  • 13. Carolina  |  27/08/2009 às 13:57

    Que bom descobrir que eu sou normal, ou seja lá o que isso significa, porque eu tô na mesma situação que você! Choro por tudo, me preocupo por tudo, me sinto feia, insegura, e a janta também não sai no horário (isso quando sai), será que um dia isso acaba ?

    Beijos

  • 14. Ritinha  |  27/08/2009 às 14:47

    Menina… impossível não rir com o jeito que você relata as coisas! Mas, olha, calma que logo as coisas passam e maternidade é muito instinto também, você vai saber o que fazer quando for preciso, tenho certeza! Serás uma ótima mãe!
    Beijos!

  • 15. Talita  |  27/08/2009 às 17:37

    Oi, guria!

    Te mandei alguns e-mails sobre o teu blog. Me responde quando puder no talita@garageim.com?

    Obrigada!

  • 16. Maura  |  28/08/2009 às 9:03

    Potinho bobo, feio, chato!!!! rsrsrs
    Fica assim, não!
    Vai dar tudo certo!
    Vc está recebendo uma linda benção e esse anjinho vai trazer muita felicidade e harmonia para teu lar!!!

  • 17. Anne  |  28/08/2009 às 9:07

    menina! ontem eu vim aqui, li o post inteirinho, me deixou tão abalada que eu não tinha forças pra comentar rs! fiquei pensando nas minhas atitudes assim tbm e em como estou ficando doidinha… essa fase é deliciosa e ao mesmo tempo tão dificil! tudo é motivo de choro, briga, tristeza, ao mesmo tempo que é motivo de riso a toa, felicidade, piadinhas! mas é tão dificil segurar o choro e a tristeza, principalmente por coisas tão bobas e insignificantes como um potinho e amendoins espalhados na cozinha… mas pode ter certeza, eu quero chorar só de pensar nessa situação! vc não é a única, não é a primeira e não será a última hahah!
    eu chorei ontem desesperada pq o namorado me ligou, eu não atendi e ele não me ligou mais. logo pensei “ele não fica desesperado se não me encontra” e disparei aqueeeele berrão. depois conversei com ele, tudo se resolveu e ele riu da minha cara haha!
    aproveita que vc tem um marido lindo, que te beija mesmo sem ter janta, te acalma, te entende e te ama mesmo nessas condições ahaha! isso é bom demais
    e o jeito que vc relata as coisas me diverte muito hahaha! depois vc vai ler tudo isso e rir de vc mesma, tenho certeza rs
    é tudo culpa do potinho, acho que vc deve jogar ele fora!
    bom final de semana! beijossss!

  • 18. Dri Viaro  |  28/08/2009 às 14:26

    kkkkk o sua doida, apesar do seu sufoco não tive com não rir, miperdoa?
    então amiga, não fica preocupada com essas coisas não, ninguém faz cursinho pra ser pai ou mãe, os filhos vem e simplesmente a gente sabe com tratá-los da melhor forma. E outra, vc sempre terá a gente aqui pra te dar dicas de alguma duvida que vc tenha, álias pensando nisso, depois que o bebe nascer como chamará o blog? ah deixa pra lá é muita coisa pra uma gravida pensar neste momento, dó do potinho rssrsrss
    sempre que precisar estou aqui, se quiser me falar sua identidade verdadeira saiba que jamé contarei a ninguém.
    bjsss bom fds

    • 19. blogdagravida  |  28/08/2009 às 14:49

      Lendo agora o meu desabafo deprimido até eu ri. Mas no dia eu estava chorando muito. Fiquei um dia inteiro de camisola, dentro de casa, me arrastando do sofá pra cama (e às vezes pra geladeira), chorando…gastei uma caixa inteira de lenços de papel e ainda um pedaço do rolo de papel higiênico. E é interessante esse jeito de lidar com a tristeza, né? Quanto mais nervosa e triste, mais piada eu faço. Acho que pra disfarçar e ninguém perceber…
      Putz.. quanto ao nome do blog depois de parir…sabe que já pensei nisso… será que vou ter de fazer o “Ex-Blog da Grávida”?
      Também pensei no blog “Pareço Grávida, mas o Bebê já Nasceu” kkk
      Ah, o que eu sei é que vou colocar minha foto de burca aqui. E também a foto do bebê dentro duma burquinha azul… (sugestão da Lu Brasil kkkkkk)
      Beijo! Obrigada…só o seu post sobre o pós-parto já foi de grande ajuda. Percebi que não estou só! uahauaha

  • 20. Renata  |  28/08/2009 às 15:35

    Coitada de vc. Lamentável. Nem tem $ pra comprar um berço novo. Parou pra pensar no tanto que gastará agora que terá um filho? Se tivesse pensado, teria engravidado mesmo assim? Desde o nascimento até os 18 anos, um filho de um casal de classe média gasta uma média de 600 mil. Pois é, dó de vc. MUITA DÓ. Dó de quem pensa em filhos num mundo como o atual. É puro egoísmo colocar filho no mundo sabendo de tudo que acontece e acontecerá. Falta de vergonha na cara ter filho num mundo como o nosso.

    • 21. blogdagravida  |  28/08/2009 às 16:00

      Renata, você tem toda razão! Ainda bem que a sua mãe e o seu pai não pensavam assim, né? Se não hoje você não estaria aqui…um ser humano tão sensível, bem humorado, bem amado, tão íntegro, inteligente, com capacidade para fazer contas e até navegar na internet! Ainda bem que eles não foram egoístas! Você já agradeceu aos seus pais!? Beijo! Volte sempre!

    • 22. Mariana  |  28/08/2009 às 16:10

      Credo! Que pessoa amarga…vc nem devia ter publicado esse comentário, devia ter apagado…credo q energia ruim de gente mal amada…mal comida..

    • 23. Amanda  |  28/08/2009 às 20:31

      Querida Renata, vc está muito amargurada, acho que todas aqui temos dó também, mas de você… Tomara que Deus te dê em dobro o que você deseja às Mamães…

  • 24. Chris  |  28/08/2009 às 17:20

    meu Deus que criatura mais, hm, fofa essa tal de Renata, né? Exemplo de meiguice e bom astral. O dó daqueles que têm que aguenta-la, não?

    Quérida, realmente a culpa é do potinho. Ponto final. Não vou insisir no ‘é assim mesmo, acontece mesmo, são muitos hormônios misturados’, prometo!

    Precisar desabar, ó, tamos aqui!

    Beijocas

  • 25. naninha  |  28/08/2009 às 18:09

    gravida linda… vou te contar uma coisa. ( pera, vou por o bb no carrinho p poder digitar mais rapido!Pronto.)

    Entao… na gavidez do meu primeiro filho, passei o natal gravida de 5 meses, quase 6… e tinha feito uma arvorezinha de natal… muito simples, comprada no 1.99 da praça, mas era a primeira arvore de natal da minha familia que estava nascendo e eu amava aquela arvore. Ela ficava do lado da minha televisao, na sala, onde eu podia ve-la o tempo todo, ja que eu nao podia me levantar durante toda a gestaçao do meu primeiro filhote, eu ficava olhando-a e isso me dava uma paz.

    Um dia, sai da sala vagarosamente e fui ate o quartinho do bebe namorar suas coisinhas e conversar com o marido… o vento estava forte e entrava assobiando pela janela… foi ai que ouvimos um barulhinho de vidrinhos quebrando… era minha arvorezinha de natal que tinha sido derrubada pelo vento e tinha embaralhado todas as correntinhas e quebrado varias luzinhas coloridas. A cena daquela arvore de natal estendida no chao da minha sala de nosso apartamento me fez chorar de uma forma que acredito so ter chorado quando criança… e olha la!
    Eu chorei e chorei… enquanto meu marido correu silencioso e consternado para catar tudo do chao… ele repetia hipnoticamente: esta tudo bem querida, esta tudo bem querida.
    Mas eu estava chorando descontrolada… eu chorei demaissss e demaisssss e demaissss… quase tive uma coisa de tanto chorar e isso nao é força de expresao. Aquilo doeu muito durante todos os dias em q eu estava gravida…rsrsr… a gente nem tocava no assunto. Para evitar mais choros…

    Mas amiga… aquele foi um dia marcante… como se fosse uma fotografia da minha gravidez: emoçoes a flor da pele, sensibilidade extrema e proteçao sublime do marido. Hoje nos dois rimos muito disso tudo. Muito memso… e um dia contarei isso para o meu primeiro filho e iremos rir juntos e ele entenderá que a gente muda muito para ser capaz de trazer ao mundo outra vida, outra criança.
    Na gravidez do meu segundo filho, que vc acompanhou um pouco… a nossa situaçao financeira era um perrengue atras do outro… muiiito muito dificil… e eu ja nao dormia mais.. todas as noites ficava confabulando soluçoes mirabolantes para a falata de salarios dignos… é tanta injustiça… mas tudo bem.
    nosso coraçao de gravida nao é humano… juro. tenho certeza disso. ele deve ser trocado na hora do positivo por um coraçao de anjo. q sofre pelas coisas que os seres humanos comuns nem sonham ser importantes. a gente chora mesmo. e tudo doi mesmo…
    voce tambem nao esta sozinha nisso tudo. nao chora por potinhos sozinha… eu chorei por uma arvore de natal. Isso faz parte. E eu queria tanto te aliviar sobre todos os teus medos e nao sei bem como… so sei q eu acedito na tua calma na hora q realmente precisar dela e sei que ela te ajudará a passar com seu barquinho pela tempestade. Recolha-se a si mesma em horas turbulentas… esqueça de tudo, de tudo q possam te dizer… relaxe… interiorize-se. Veja. Dentro de ti… tudo é possivel. Lá esta a sua verdadeira identidade.. e ela sabe o q fazer direito… e a calma é sua melhor amiga. Isso pode te ajudar. Voce sabe o que fazer. Voce sabeeee!

    sobre meu post… menina, eu ate pensei mesmo que eu poderia assustar alguem com meu drama… mas fazer o q … eu juro q era exatamente assim que eu estava me sentindo e por favor me desculpe pelo susto. Peço desculpas tambem ao teu sublime bebe q se assustou contigo.. desculpa pessoal. As vezes me esqueço que tenho gravidinhas lindas lendo meu pobre e poeirento blog e acabo escrevendo dramatica e rispidamente… é q eu sou ssim mesmo… “meio” dramatica.
    Aaaa.. preciso te contar outra coisa…rsrsrs …
    Uma vez tive uma crise de riso qdo estava gravida… pq nem so de lagrimas se gera um filho! E foi tao esquisitao. Eu tava tentando almoçar antes de ir correndo para o serviço. Era dia tenso.. cheio de compromissos e cobranças da chefona… e eu acho q toda aquela tensao saiu de mim extravasada de uma forma muito hilaria. Eu comecei a rir pq meu marido disse para eu por mais limao na comida ( q naquele estado gravidico eu amavaaaa)e eu achei aquela cena dele com um limao pela metade me oferecendo para espremer sobre meu prato de comida tao descontrolavelmente engraçado q comecei a rir sem parar… ri e ri… quase engasguei e continuei rindo… escovei os dentes rindo… sai de casa rindo… morrendo de rir, andei de carro rindo.. rindo muito e qdo pensava na cara da minha chefa olhando brava p mim eu ria mais ainda pelo caminho e eu so conseguia pensar: preciso parar de rir… preciso parar de rir. Mas tudo q eu via era absurdamente engraçado. No serviço ainda ri por uns dois episodios que aconteceram lá… mas graças a deus o caminho era longo e deu tempo da crise passar ( diminuir a ponto de eu disfarça-la)
    amiga… tudo isso faz parte da sua historia de gravida q vai ficar para sempre na sua vida… na do seu marido e na do seu filho … tudo isso te trara um gostinho de coisa especial e inesquecivel… e so trara mais cores atua vida. Porque o que mais importa vc ja tem. O amor. O resto a gente luta, apanha, aprende e vence.

    obrigada pelo seu comentario la no meu blog. desculpa pelo meu enorme novamente.

    naninha

  • 26. RenataeDavid  |  28/08/2009 às 18:26

    Meu nome é Renata e NÃO compartilho com a opinião da Xará. Adoro os desabafos, porque eu também estou grávida (1 viagem) e aprendo muito com pessoas como vc, desejo que aquilo de material que precisas de concretize no tempo certo, enquanto a está “acima do peso” não se preocupe agora, corra atráz depois em menos de 6 meses você vai ser uma pessoas magra, a sociedade cobra mas o mais importante é você está bem mentalmente para cuidar do seu baby e de vc. Deus te abençoe!

  • 27. Débora  |  29/08/2009 às 13:19

    Sobre o comentário da Renata.
    São as inversões de valores neste mundo cruel de hj!!!Minha médica sempre falou sobre isso comigo: “não demora muito pra ter filho não, não fique pensando na falta de grana, pq tenho várias pacientes que queriam primeiro comprar uma casa maior, um carro melhor,para depois ter filhos, e os anos foram passando, a idade avançado e hj não conseguem engravidar, e já gastaram o valor referente a 3 casas, 3 carros….”
    Mas enfim…cada um com a sua opinião e seus princípios…

    Queria registrar aqui tb e até pedir, se possível, pra vc publicar num próximo post. Toda Sexta as 8:30h da manhã na Record News, tem um programa sobre gestantes com o Dr. José Bento, ele é ótimo e o programa é super esclarecedor e descontraído!!Eu sempre assisto e acho que quem assistir vai amar!!!

    Bjossss
    E parabéns pelo blog, eu amooooo.

  • 28. Emanuela  |  31/08/2009 às 15:47

    Oi amiga,

    eu tb tive uma crise de choro mais por causa de um papel de bala. Eu e o mardão fomos fazer um curso para ele poder assistir o parto e na saída para o cofee breake ele jogou o papel dentro da minha blusa,pq?? Nossa abri a boca chorar e dizia para ele que eu sabia que eu estava enorme mas se ele estava que eu era um lixo eu não era não, nossa chorei muito e ele não sabia o que fazer para pedir desculpas. Lendo seu post acabei lembrando dessa história que já tinha até esquecido em meio a tantas outras coisas que aconteceram os meses sem namorar e a cabeça cheia de besteiras de que ele estava me traindo, tudo bem que isso eu não descobri mas enfim..coisas de grávida!!!!

    beijosssss

  • 29. Juliana  |  31/08/2009 às 20:43

    amiga relaxa sei que é um periodo dificil mas não fica assim não sempre que a nuvenzinha chegar, pensa por outro lado!! Você está esperando um baby lindo.. que já te ama mesmo lá dentro.. e ele sente o que você sente, portanto, não o deixe triste!! espante essa tristeza e pensa nas alegrias e no orgulho que vai ter dele!! E larga de besteira, vc já é uma ótima mãe!!

    bjinhos!

  • 30. Dany  |  01/09/2009 às 9:48

    Eitaaaa que toda grávida é igual mesmo. O pior disso, ensaiei uma lágrima só de ler sua história (mas sei q era pra rir, sintomas de gravidez).

  • 31. Dri Viaro  |  01/09/2009 às 11:28

    o ministério da saúde está em busca de uma grávida sumida, onde será que ela se meteu?rsrs
    bjs

  • 32. Aline  |  01/09/2009 às 17:16

    Como pode tanto sentimento explodindo dentro da gente, né? Apesar de a gente estar se sentindo bem grande, parece que não cabe tudo isso aqui dentro, he he… Gostei de ler teu desabafo e acho que é bem por aí mesmo, a gente tem que vivenciar isso também! Faz parte!! Ah, fiz o exame da curva glicêmica!! Acho que fiquei tão impressionada com teu relato, e esperei algo tão horripilante que no fim tirei de letra! rsssss… viu, vc me ajudou!!! Valeu! Beijocas!

  • 33. Elisa  |  02/09/2009 às 8:47

    Oi! Sou nova por aqui e estou adorando este blog! Morri de rir com esse post, especialmente pq me fez lembrar d qdo estava gravida! rs Mas relaxa, pq a tendencia eh piorar depois q o bb nasce hahhaha… Brincadeirinha…

  • 34. Leticia  |  04/09/2009 às 12:42

    Calma, garota, essa fase vai passar. eu chorava com a propaganda do Omo e até da Pedigree sobre adoção de animais. Chorava porque não tinha caixas de sapato para guardar os sapatos ou porque não conseguia lavar os pés sozinha…


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to comments via RSS Feed

Páginas

Categorias

Agenda

agosto 2009
S T Q Q S S D
« jul   set »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

Most Recent Posts

 
%d blogueiros gostam disto: