Recado de uma bruxa

03/09/2009 blogdagravida
Tags: , , , ,

Reproduzo abaixo o texto enviado pela Madrasta do Texto Ruim, do blog Objetivando Disponibilizar, do qual sou leitora assídua (é, nem só de gravidez v Bruxaivem as grávidas). Não nos conhecemos pessoalmente. Um dia ela deixou uma mensagem aqui ou eu deixei uma mensagem lá, não sei, e assim começou a nossa troca de e-mails sobre os mais diversos assunto, inclusive gravidez. Há alguns dias ela deu à luz seu primeiro bruxinho filho e compartilhou comigo algumas descobertas que fez sobre amamentação. Pedi que escrevesse um post sobre o assunto, para publicar aqui no blog. Entre uma troca de fralda e um feitiço, ela atendeu ao meu pedido. Espero que o texto dela contribua para aumentar a discussão e o entendimento sobre o que é amamentar e o que é ser mãe. Boa leitura:

Amamentação – sem romantismos ou frescuras, por favor!

Saudações! Sou a madrasta do texto ruim. Dou consultoria contra amebas escreventes no meu caldeirão, o Objetivando Disponibilizar.  Gosto muito dessa menina Dona Grávida, viu? Ela escreve direitinho, o texto dela flui que é uma beleza, enfim, fomos muito com a cara uma da outra – muito embora tanto eu como ela sejamos apenas duas personagens coincidentemente encarnadas por duas grávidas, e nunca tenhamos nos visto pessoalmente. Vai entender… coisas de Internet, oras!

Por isso, eu me ofereci pra falar algumas verdades aqui no cantinho dela sobre amamentação. É que o meu feiticeirinho acabou de nascer, então eu vivi pela primeira vez a experiência da amamentação. E eu posso ser mãe e ex-grávida, mas burra eu não sou! E não suporto ser tratada como tal. (Já disse que sou uma bruxa? Não? Olha, eu sou uma bruxa, viu? E o meu humor é de bruxa, mesmo!)

Por isso, acho profundamente irritante ver um mundo e meio recitando aqueles lugares-comuns sobre amamentação que, de tanto entrarem na linha de produção de textinhos-padrão sobre o tema, já viraram quase um mantra. Senão, vejamos: o que você já leu sobre amamentação?

– é-muito-bom-para-o-bebê

– reforça-os-vínculos-entre-mãe-e-filho

– melhora-a-capacidade-de-aprendizado-da-criança

– desenvolve-a-estrutura-facial-do-seu-filhote

– ajuda-seu-organismo-a-voltar-ao-que-era-antes-da-gravidez

– faz-com-que blá-blá-blá whiskas sachet blá-blá-blá…

Poi Zé, grávidas leitoras deste blog. Tudo isso já foi dito. E tudo isso é BebeAbocanhaPeitoverdade.

Mas tem mais umas verdades que só resolvem te contar mais ou menos quando sua gestação já está no fim – e cuja realidade você sente bem na ponta do bico dos seus seios na hora da terceira ou quarta mamada.

É o seguinte: amamentação é um lance maravilhoso. Mas como tudo nesta vida, tem um lado bom e um lado ruim. O lado bom é o lado de um serzinho lindo, fofo, indefeso, que depende de você pra tudo na vida – limpar a bunda de cocô inclusive. Esse serzinho, por quem você vai se apaixonar enlouquecidamente assim que o conhecer, é dotado de uma força i-na-cre-di-tá-vel em suas gengivas. E o sistema de vácuo disponível em sua minúscula boquinha veda seu mamilo, almas, encostos, amebas e afins, e só devolve o seu mamilo pra você quando ele bem entender.

Se você não conseguiu captar a mensagem do parágrafo anterior, traduzo: o lado ruim da amamentação é todo seu, fófis!

A primeira vez que o seu filho lhe abocanhar o mamilo vai ser supertranquila. Afinal de contas, ele acabou de nascer, dá um desconto, né?

Mas no segundo dia de vida do seu filho, ainda na maternidade, você (mais precisamente o seu mamilo) vai descobrir o poder das gengivas recém-nascidas e a força do vácuo da boca do seu filhote. Nesse momento, você vai perguntar a Deus por que Ele não envolveu aquelas arredondadas e sensíveis regiões do seu marido no processo de amamentação. É nesse momento que você vai ter certeza de que Deus é um cara que pende pro lado dos homens (porque, convenhamos, não há nada mais prático do que fazer xixi de pé, sacudir e guardar as coisas depois, né?)

Ao sentir uma das maiores dores da sua vida e questionar as lamparinas do juízo de Deus, você vai (tentar) respirar fundo e vai repetir para si mesma: “Calma, calma, isso passa! Que nem na minha primeira vez! Doeu mas passou!”

Só que, ao contrário do seu hímen, o seu mamilo não vai embora. Ele fica. E não pense que o seu filho vai ser bonzinho contigo, ó mãe fresca, porque ele não vai. Ele vai travar aquelas gengivinhas poderosérrimas nos seus mamilos e vai lhe sugar o colostro, o leite, a vida, as idéias (esse acento vale até 2012), as forças…

No que o seu filhote lhe suga tudo, seu colostro vira leite. E você tem febre por conta disso. E o seu peito fica duro e dói todinho. Solução? Massageie os peitos! Massageie com força, principalmente onde estiver mais duro. E o seu peito dói mais ainda!

Nessa hora, você vai xingar o @#%#$%$%@#$@#$ que teve a @#$#$%@#$%@$% idéia de fazer da amamentação esse tormento. E, ao ver que o seu filho tá fazendo força demais e não consegue sugar todo o leite que precisa, e chora de fome, você vai se desesperar e chorar. E vai fazer toda a massagem que lhe for indicada, até o peito amaciar e seu filho conseguir voltar a mamar em você. Parabéns, você virou mãe! Vou lhe poupar daquela historinha de “padecer no paraíso”, outro lugar-comum que me dá nos nervos.

Para amenizar a dor, só há uma coisa que toda mulher de juízo e bom-senso deve incluir no kit do bebê: procure nas melhores casas do ramo por um troço que se chama protetor de mamilos, feito em silicone. Na minha humilde (/pedante) opinião, o cara que inventou essa engenhoca pode se candidatar a vice-Deus.

Como num passe de mágica, seus peitos não irão mais empedrar como dantes (com trocadilho, por favor – Dante, inferno… entendeu? ;o), seus pobres (e sofridos, e chupados, e mamados, e doloridos, e rachados) mamilos irão ficar protegidos (passe uma pomadinha de lanolina que indicam na maternidade pra ajudar, também) do atrito contra sutiãs e toalhas, e irão cicatrizar mais rápido.

Mas, como muito bem disse o meu pai, você que se dane! Quem importa agora é o seu filho, é ele quem tem todas as prioridades do mundo. Dane-se tudo, sua obrigação maior é alimentar e dar todo o sustento ao seu filho. Até porque, pelo menos pelos próximos seis meses você será mais vaca do que mulher (antes de protestar comigo por ter sido transformada em vaca, lembre-se que se você tiver muito leite vai ser convidada a se valer de um lance chamado “ordenha manual”. E agora, vai protestar?).

Pense assim, e os céus irão lhe recompensar após alguns dias de sofrimento: seus mamilos irão cicatrizar (com a ajuda da engenhoca do vice-Deus), seus peitos irão inchar e você conseguirá usar aqueles decotões liiiiindos, que só a Gisele Bündchen podia usar. Força no decote e na pomadinha de lanolina, e vamos em frente, companheiras neo-vacas!

Ah, sim! Seu filho também vai crescer forte, bonito, saudável, com o sistema imunológico fortalecido, etc, etc, etc…

Anúncios

Entry Filed under: Amamentação

40 Comments Add your own

  • 1. Maura  |  03/09/2009 às 23:05

    Ameio o texto dessa bruxinha!
    Gente… tô com medo desse lance de amamentação! heheheh!
    Bjinho!
    Maura

  • 3. Kira  |  03/09/2009 às 23:33

    Minha vizinha engravidou, e digmaos que ela já não esta com seus 20 e poucos anos, já passou bem disso, e NADA ali é no lugar. O bebê nasceu, no 2º dia já tacou NAN na criança pq né, ‘tiraram meu leite’ depois que eu não acreditei na história, veio com ahistória de que ‘ MAS MEU PEITO VAI FICAR CAIDO’ juro que a primeira coisa que eu pensei foi ‘TEM COMO CAIR MAIS?”

    Tudo isso pra dizer que, com certeza, vai doer pra caralho amamentar, mas eu quero ver o lado bom, PELAMORDEDEUS DEIXA EU VER O LADO BOM DA COISA, hahaha.
    Quero ver minha filha engordando e ficando cheia de dobrinhas e saudável! Já fiz de tudo que me indicaram, já ate fiquei com as tetonas de fora no quintal tomando sol ( e tive de sair correndo depois pq chegou visita inesperada!), se falar pra passar coco de vaca que ajuda, to passando! Pra você sentir o desespero! hahaha

    Beijos

    • 4. Madrasta do texto ruim  |  04/09/2009 às 14:26

      Isso não se faz, né? a gente guenta a dor, guenta o tranco, sofre tudo o que tem que sofrer mas não deixa de dar o peito… o que me abespinha nessa história toda de amamentação é quando os “cabra” começa tudo a dizer que é uma coisa cor-de-rosa, maravilhosa, divina e impecável, quando não é. Pô, não sou burra, me avisem de tudo o que vai acontecer comigo que eu me preparo pro melhor e pro pior! Eu só peço que seja avisada de tudo, pra não me sentir enganada nem ludibriada…

  • 5. Cris Guimarães  |  04/09/2009 às 7:15

    Amei o post e amei igualmente o blog!!! Estou na minha terceira gestação e, ao contrário dos que acham que já sei tudo por isso, estou sempre aprendendo e trocando idéias a respeito do tema (gravidez, filhos, etc.).
    Beijos, parabéns!!!

    • 6. Madrasta do texto ruim  |  04/09/2009 às 14:31

      Ara, dona Chris! ‘Gradicida, num visse? 😉
      Se aprochegue lá no caldeirão, vamos tomar uns cafezinhos… :o)
      aliás, dona Chris e todas as frequentadoras do puxadim da dona Grávida, viram?

  • 7. Catharina  |  04/09/2009 às 9:57

    Adorei o texto!!!! Não passei metade do sofrimento que ela descreve, meu seios ficaram “sentidos” com toda a nova movimentação mas se comportaram muito bem com a ajuda da pomada de lanolina!
    E aqui vai um aviso de uma mãe de menino para uma mãe de menino: eles são uns esfomeados!! Se te falaram que eles mamam de 3 em 3 horas pode começar a esquecer… a não ser que você seja uma pessoa de sorte…rsrs
    Meu bezerro (bem apropriado o uso da palavra rs) se eu deixar quer mamar de 1 em 1 hora…
    Beijos para vocês

    • 8. Madrasta do texto ruim  |  04/09/2009 às 14:33

      Olá, Catharina! 🙂
      Você é uma sortuda! já veio com o mamilo calejado pro seu filhote, né?

      Quanto ao período entre mamadas do meu bezerrinho, já comecei a reparar nisso…

      Bjoquinhas!

  • 9. Amanda  |  04/09/2009 às 10:32

    Sensacional!!! Adorei!!!

  • 10. Carolina  |  04/09/2009 às 12:18

    A verdade nua e cruaaaa !!! Ameeeiii, é bom ter um relato sincero daquilo que nos espera daqui alguns meses …

    • 11. Madrasta do texto ruim  |  04/09/2009 às 14:35

      óóóóóóótemo que vc gostou! Vai se preparando, porque é uma das etapas que você vai ter que vencer pra alimentar o seu bezerro! Levam um tempinho pra passar, mas é fato que acontece em sua vida (mais precisamente em seus mamilos).
      Boa sorte com o seu bezerro! (Ou é bezerrinha?)

      Bjoquinhas!

  • 12. naninha  |  04/09/2009 às 14:03

    Eu estranhei muito a dor do leite empedrado da primeira vez que pari… estranhei o leve esfolamento na pele do mamilo e estranhei tambem a dor que a saida do leite causa no começo… Eu nao imaginava que era daquele jeito… é mesmo meio caotico… mas se voce souber que é caotico para toas as recem mamaes, voce se acalma um pouco e nao se desespera achando ” há algo de errado comigo” … nao… nao ha nada de errado. É assim mesmo… mas cada pessoa sente de um jeito… com uma intensidade… eu estranhei… nao sabia direito o que fazer com aquela dor e incomodos enormes, mas nao encanei com isso… eu socava o menininho nas tetas e deixava a coisa rolar enquanto conversava com alguem ou simplesmente enquanto via um programa qualquer na tv… e tudo passa… e o peitao fica melhor do que silicone! Coisa mais linda é peitao cheio de leite… fica redondão durão… um coisa meio file pornô memso! Bem firmões…

    Se puder te ajudar… diria que é bom saber de udo isso e saber que todas nós passamos por isso… mas tambem te daria um toque: não encane. amamentar nao é uma missão da Nasa… doi e da trabalho no começo… mas depois vira festa! Lembre-se… feche os olhos, respire, voce consegue EU SEI.

    Obrigada pelo email.

    naninha

    • 13. Madrasta do texto ruim  |  04/09/2009 às 14:38

      Mas é exatamente isso que tem que acontecer: a gente tem todo o direito de saber de tudo o que vai acontecer de antemão, né?
      e não é pra encanar ou pra não encanar, é justamente pra gente se preparar pro pior e saber que, alguns dias depois, (quase) tudo já passou…
      Por enquanto, eu fecho os olhos e repito pra mim que eu consigo e que eu suporto. Difícil é conseguir fazer uma cara bonita e respirar com os mamilos encrustados entre as gengivinhas do meu feiticeirinho… mas eu gueeeinto! 🙂

      Bjoquinhas!

  • 14. Dri Viaro  |  04/09/2009 às 14:40

    muito bom kkkkkk
    no meu segundo usei umas pomadas doidas, pq a primeira nao quis mamar de jeito maneira.
    eles sugam mooito forte, realmente, ser mãe é padecer no paraiso.
    gravida bom fds e feriado pra vcs 3
    bjssss

    vou la conhecer o blog da sua amiga

    • 15. Madrasta do texto ruim  |  05/09/2009 às 11:13

      Sarve, sarve! ó, já liberei os comentários lá no meu caldeirão, num visse? Não me pergunte porque, mas o padrão de publicação de texto é sem autorização. tenho que alterar isso…
      bjoquinhas!

  • 16. Maria Fernanda  |  04/09/2009 às 14:42

    Adorei!!! Muito bom!!!

  • 17. greice  |  04/09/2009 às 14:44

    olá grávida e amiga bruxa
    Acho que na amamentação, como em quase qualquer tema, qualquer generalização não é correta. O que mais me incomoda é o discurso de que “toda mulher pode amamentar”(só falta dizer que se você não tem leite a culpa é sua), ou que “não existe pouco leite ou leite fraco”. Ainda bem que na 2a tentativa encontrei um pediatra maravilhoso que me convenceu que eu tinha pouco leite e que a culpa não era minha, complementei um pouco pra minha 1a filha e o 2o foi praticamente esclusivo no seio …
    Mas ainda assim amamentei os 2 filhotes, sofri pouco com dores nos seios, mamilos rachados e tal (recomendo lasinoh fortemente e concha desde o 1o dia) apesar de ter tido empedramento nas 2 vezes.
    Mas eu tenho sim todo um romantismo quanto à amamentação, acho lindo e sublime, sempre amei amamentar. Além de ser a coisa mais prática do mundo. Agora que meu filho já come papinhas e frutas eu acho um saco ter que ficar carregando marmita, mil vezes o leitinho fresco disponível 24 horas por dia…
    Beijos pras 2 e pros 2 bebês.

    • 18. Madrasta do texto ruim  |  05/09/2009 às 11:19

      “toda mulher pode amamentar”, “é muito bom amamentar (só não dizem pra quem é bom), “não existe pouco leite”. ô, saco, quanta besteira a gente tem que ouvir!
      quantidade de leite é uma questão de logística: se o seu filho mama feito um bezerro, e você produz leite feito gente, então você não vai ter a quantidade que ele quer mamar; se você produz uma quantidade de leite muito além da que o seu filho ingere, então você tem muito leite. Ou seja: é relativo, e depende da variável neném-draga…
      Mas a questão aqui é que amamentar é importante, sim, apesar de todo o perrengue que representa prá mãe. A idéia desse post é justamente deixar a mãe a par de T-U-D-O o que pode acontecer, e ela que tenha responsabilidade o suficiente pra dar o peito pro filho, apesar de tudo!
      Quem sabe, depois de algum tempo, seja até possível ver o lado romântico da coisa, né não? ;o)

  • 19. Ivana  |  04/09/2009 às 16:13

    Passei por tudo isso que foi descrito. Nas primeiras 3 semanas chorava de dor. E pensava, será que tem algo errado comigo? Porque todo mundo consegue e eu não? Depois que fiquei sabendo que nem todo mundo consegue, que muitas sucumbem nos primeiros dias. Mas não as condeno, não. É muito difícil mesmo. Vc tem que querer muito.

    No meu caso, depois que os mamilos cicatrizaram, eu ainda sofria com dor. Só depois de um tempo descobri que estava com candidíase. Isso mesmo, pode dar nos seios. O tratamento é longo e vc e o bb tem que se tratar.

    Bem, agora vamos a parte boa. Superadas as dificuldades iniciais, consegui amamentar exclusivamente no peito por 6 meses. Meu filho acabou de completar 1 ano e 1 mês e ainda mama 2 vezes por dia. E só vou parar quando ele não quiser mais. Posso dizer que é bom demais. É um contato que só nós, as mães, podemos ter com nosso rebento. Ainda hoje sinto que é um momento mágico, meu filho ali, me sugando, acariciando meu cabelo até dormir, tranquilo.

    bjs e muito boa sorte.

    PS: Te aconselho o que eu não fiz e devia ter feito. 10 min de sol diáriamente, esfregar de leve uma toalhimha úmida, logo após o banho, e pomada de lanolina quando começar a amamentar.

    • 20. Madrasta do texto ruim  |  05/09/2009 às 11:21

      Engraçado… apesar de todo o perrengue, eu consegui manter minha cabeça livre, e sabia (repito: sa-bi-a) que, no final da situação e com a devida orientação pediátrica, eu conseguiria amamentar meu bezerrinho sem maiores preocupações, era só uma questão de tempo – e de adaptação também, né? Afinal, eu também mereço o desconto de ser mãe fresca, né?
      Mas eu não sabia desse lance de candidíase no peito! Brabeira!!!

      Bjoquinhas!

  • 21. Emanuela  |  04/09/2009 às 16:45

    Nossa adorei o texto extremamente verdadeiro o mais honesto que já li!!!

    beijosssssssssss

  • 23. Paloma  |  04/09/2009 às 17:39

    hahaha, adorei o texto. Ninguém nos conta o lado ruim ANTES.
    Muito legal o seu blog também.
    Beijos

  • 25. Anne  |  04/09/2009 às 18:23

    hhahhaahahahahahaha MUITO MUITO MUITO bom!!! de diverti horrores com esse texto! além de ser a mais pura verdade né? “o poder das gengivas recém-nascidas” hahaha! “não vai embora como o hímem”
    que legal ela ter feito esse post assim! relato sincero e super engraçado desse momento em que logo chegaremos.. e vamos nos preparando!
    beijosss

    • 26. Madrasta do texto ruim  |  05/09/2009 às 11:24

      O ser humano é o único animal na face da Terra capaz de rir. Se eu não for capaz de fazer piadas de mim mesma, terei que prestar vestibular para ingressar em outra espécie biológica! :o) e, como eu não quero virar ameba, deixa eu continuar humana! 🙂
      Bjoquinhas!

  • 27. Débora  |  05/09/2009 às 13:36

    Nossa…amei o texto!!Estou grávida de 5 meses, e já sai o tal do colostro, sempre na hora de dormir, acordo sempre com a camisa marcada com “leite” seco…hehehehe. Tomara que seja sinal de fartura, pq quero mtoo conseguir amamentar. Só uma dúvida, esse tormento incial da amamentação tende a passar em qto tempo?!
    Bjossss

    • 28. Madrasta do texto ruim  |  05/09/2009 às 21:36

      Varia de mãe(milo) para mãe(milo). Se você usar o protetor/concha de silicone, mais a pomadinha de lanolina, a coisa se apressa. Mas da dor você não escapa, viu? sinto lhe informar, mas a verdade é essa!

  • 29. Mariana  |  05/09/2009 às 17:24

    Ai que medo depois de ler esse txt! Jesus me abana! Já to sentindo dor srs rsrs rsrs

    • 30. Madrasta do texto ruim  |  05/09/2009 às 21:38

      Não adianta Jesus te abanar, minha filha! Nessas horas, ponha mais fé na dupla concha de silicone / pomadinha de lanolina!

  • 31. Ritinha  |  05/09/2009 às 18:32

    HAHAHAHAH! Muito bom o texto, sincero! Eu só fui ouvir/ler mais sobre amamentação realista depois que ingressei nesse mundo da internet. Na minha família, nunca tivemos muita reclamação não, vi minha prima amamentando a filha com alguns dias numa boa, só minha tia que conta que quase ficou sem mamilo, que o trem ficou pendurado e talz.
    Acho bom e interessante que as grávidas tenham uma visão realista da coisa, pq sonhar é muito bonito, difícil é bater o pé no chão e ver que o “buraco é mais embaixo”.
    Beijos!

    • 32. Madrasta do texto ruim  |  05/09/2009 às 21:40

      romantismo e lirismo tem limites, né? e os limites estão nos seus mamilos doloridos! Simples assim!

  • 33. Maria Rita  |  06/09/2009 às 21:53

    Eu nao amamentei meu primeiro filho por falta de informacao. O leite nao descia direito no comeco, so aquela aguinha (hoje sei q e o colsotro) e me f,alaram q o meu bebe tava fraquinho magrinho qusa anemico etc… depois que entendi tudo aquilo e sofri muito, nao repiti nos dois outros filhos, q um amamentei ate os 8 meses e depois o outro ate os 10 meses. Mas gracas a Deus meu primeiro filho e fote e saudavel , nao tem nenhuma doenca e sobreviveu a minha ignorancia. Eu tinha apenas 17 anos quando ele nasceue miha mae ja tinha morrido, nao tinha quem me explicasse e nem existe a internet rs rs rs rs essa benssao que e a internet…

  • 34. Patrícia  |  06/09/2009 às 22:08

    Adorei o post, e é isso mesmo o que acontece. Nos primeiros dias eu chorava de tanta dor, mas as tais conchas de silicone me salvaram (é sério não deixa de comprar não), mas não conhecia a tal pomada de lanolina, eu passava o próprio leite e deixava secando, ae cicatrizava rápido =D
    Acho que o que machuca é qdo o bebê pega errado, mas depois que ele aprende a pegar direitinho não doi mais =)
    Claro, até os dentinhos nascerem, hehehehe

    beijos =******

  • 35. naninha  |  07/09/2009 às 14:50

    Amiga gravida, tudo bem?
    Esse post ta chique demais com resposta da autora-bruxa-amiga para todos os comentarios feitos aqui!

    Obrigada bruxinha pela tua resposta ao meu comentario! é vdd o q dizes sobre nos informarmos antes… isso nos da segurança antes e força durante…

    Obrigada gravida, pelo comentario em meu blog… e… sim… é uma questao muito dificil tentar separar o q é da mae e o q é do filho… acho q tudo ja vem tao misturado q mae influencia filho e o contrario tambem…
    Meu pimeiro filho é “mae e pai” desse meu segundo filho, entende? Ele me ensinou a ser a mae q sou hj p o meu seguno filho… e COM TODA CERTEZA eu nao sou mais a mesma… gerei este segundo com muito menos medos e ansiedades, nao o encho de exageros bons nem ruins como fiz c o primeiro… eu deixo a vida rolar… e o bb sente isso COM CERTEZA e responde com essa tranquilidade q descrevi.
    por isso sei q esse segundo bb é muito mais facil de lidar do q o primeiro, mas devo agradecer por isso ao primeiro filho… q pegou uma menina e a transformou em Mãe. Foi ele quem me “deu” um bb tao tranquilo agora! A vida ‘e perfeita minha amiga (eu nao disse facil! rsrsrs)

    um dia desejo fazer um post sobre isso… mas ainda nao esta pronto dentro de mim!!! rsrsr

    fica bem e valeu pelos comentarios,

    com carinhooo

    naninha

  • 36. Renata  |  07/09/2009 às 21:41

    Olá!

    Adorei o texto, super verdadeiro, sem os floreamentos que vemos nas revistas, sites, etc.
    Também queria acrescentar uma outra verdade sobre a amamentação, que só depois da minha experiência fui descobrir que acontece com muita gente.
    Pois bem, depois de passar a gravidez toda lendo tudo de bonito sobre amamentação, quando dei a luz a minha filha, tinha certeza de que a amamentar era um lance instintivo, tanto para mim quanto para o bebê. Ora, se esse é o único meio de eles se alimentarem e todas as campanhas falam e mostram cenas lindas de mulheres amamentando, então, é só colocar a pequena no meu peito e ela vai mamar lindamente, certo? Errado! A amamentação para mim foi um pesadelo nos primeiros 15 dias. Minha filha nasceu bem pequena e sem força para sugar. Conclusão: ela não comia, simplesmente! Não tive o menor apoio das enfermeiras do hospital, que tinham muitas outras mães para cuidar. Minha sorte foi encontrar uma enfermeira especializada em amamentação que ensinou tanto a mim quanto a minha bebê (sim! eles também não nascem sabendo) como mamar e amamentar. Passado isso, veio a parte da dor, das fissuras… mas depois de pegar o jeito descobri que em cada mamada passo momentos deliciosos com minha filha.
    bjos.
    Renata

  • 37. Lilis  |  08/09/2009 às 7:43

    Olá,
    Eu entendo o objetivo do seu texto e concordo que deveríamos ser informada sobre tudo e não somente sobre o lado bom desde o começo. Eu também sofri quando o Pedro nasceu e me perguntei mil vezes como é que todo mundo dizia que amamentar era tão bom.

    A verdade é que depois das primeiras semanas passa e a gente acaba esquecendo essa fase difícil. Com o tempo vc vai agradecer a Deus por ser vc mulher a responsável por essa tarefa. Não tem nada mais gostoso do que ficar olhando a cria mamar.

    É nisso que precisamos pensar pra ter paciência e esperar. Garanto que é recompensador.

    Bjs

  • 38. Analuz  |  09/09/2009 às 17:41

    Eu tinha que dar um palpite neste post, que eu adorei! Olha, eu tb ficava apavorada com a amamentação e o começo é meio complicado mesmo, pois é dolorido e é um aprendizado para a mae e bebe. Eu preparei os mamilos usando a concha durante a gestaçao, ajudou a formar o bico. Acho que foi util; Tb usei a buchinha no banho, com movimentos circulares, 10 vezes para um lado e o mesmo para o outro. Tem gente que nao acredita que isso funcione, mas foi o meio que encontrei, ja que nao tinha como colocar os peitos pra fora no inverno com neve que costuma fazer por aqui. Depois que o bzebe nasce, os peitos “explodem”, ficam enormes e doloridos. Tem que fazer massagem para ajudar a descer o leite. Eu fazia isso no chuveiro, com agua bem quente caindo em cima (eu passava o chuveirinho nos seios, com movimento de cima em diraçao ao bico). Tambem fazia compressas quentes com cha de camomila. Usava pomada que continha vaselina e a Béa podia mamar mesmo que tivesse um pouco de residuo nos seios. Tb usei a Trofodermin (minha mae trouxe do Brasil) e eu passava quando sentia uma dorzinha que parecia que estava cortando (soh que esta pomada tem que ser removida antes da mamada). Ah tb deixava um lado “descansando” com o bico de silicone enquanto a Béa mamava no outro seio. Eu revesava esse silicone para “tratar” dos seios quando nao estavam sendo ocupados pelas gengivas da minha filha. Isso tudo durou uns 15 dias. Nao é mole mesmo! Mas depois de todo esse cuidado tive o resultado positivo: nada de sangramento, peito partido, leite empedrado, e tals. Hj não doi nada, é incrivel como as coisas funcionam, vc vai ver! Ufa!! falei tudo! Beijossssss

  • 39. Raquel  |  11/09/2009 às 18:58

    Tava passeando pelos blogs da vida e me deparei com esse… A-m-e-i!!
    Muito bom! Ainda não li nada tão realista sobre amamentação!
    Já passe dessa fase de tortura pós-gravidez! Meu bezerrinho tá com 2 meses e já não sinto mais dor nenhuma ao amamentar. Poréééém já senti muitooooo!!
    E infelizmente, essa parte de que amamentar não é a melhor sensação do mundo, não é tão esclarecida assim!
    Mas tem um consolo no meio disso tudo: essa tortura são só nos primeiros dias mesmo. Depois se torna uma prazer poder alimentar seu filhote.
    Parabéns pelo texto bruxinha… rs

  • 40. Claudia Imenes  |  05/05/2010 às 9:20

    Adorei o texto !
    Trabalho com amamentação há 11 anos e desde então,venho vendo oquanto a mãe muats vezes,não se encontra bem informada,sabendo dos eventos que ocorrem na amamentação,com lidar com eles e como resolve-los principalmente!
    Realizarei um Encontro de gestantes com a amamentaçao,aqui no Rio e se, possível,gostaria que vc divulgasse em seu blog .
    Adorei seu blog.Estarei adicionando nos meus favoritos!

    Um abração


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to comments via RSS Feed

Páginas

Categorias

Agenda

setembro 2009
S T Q Q S S D
« ago   out »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  

Most Recent Posts

 
%d blogueiros gostam disto: