Mexe que é bom!

08/09/2009 blogdagravida
Tags: , , , , ,

bebequietinhoAmo quando o bebê mexe, mas ao mesmo tempo sinto uma certa aflição. E nem é por que dói às vezes, pois com isso já acostumei. O que me aflige é a falta de controle sobre alguma coisa que acontece dentro do meu corpo. Admitir isso deve ser contra as Leis das Gestantes, pois outro dia deixei escapar um comentário sobre a minha aflição e  imediatamente senti olhares de censura lançados na minha direção. Mas é a mais pura verdade: é bom, mas me dá aflição. Nem sempre, só quando as sacudidelas acontecem em momentos totalmente inconvenientes inesperados. Como na semana passada, no meio de uma reunião de trabalho, enquanto eu tentava enganar convencer todos os presentes (e  a mim mesma) de que aquela mulher ali em pé não era apenas um par de peitos enormes e uma barriga maior ainda, morrendo de vontade de fazer xixi, arrancar os sapatos e esticar as pernas inchadas. Aquela era uma workaholic profissional dedicada, que não deixava a dor nas costas e as dúvidas sobre as conchas de silicone invadirem seu mundinho corporativo.

Tudo ía muito bem e as pessoas na sala pareciam até mesmo ter esquecido que provavelmente dali a três ou quatro meses não poderiam mais contar com a minha presença (a não ser que fosse pra falar de seios doloridos e fraldas descartáveis). Então bem no meio da minha melhor frase de efeito acompanhada de um olhar confiante (emoldurado por rímel na medida certa) o que aconteceu? O bebê deu um salto mortal triplo em direção à minha bexiga urinária. Ahá! Tente continuar a frase no mesmo tom de voz e não levar as mãos até o ponto atingido. Desafio supremo: tente ignorar a vontade aguda e imediata de correr para o banheiro com uma sirene ligada em cima da sua cabeça gritando “xixiiiiiiiiiiiiiiiiii, saiam da frente….xixiiiii”.

Levei um pequeno susto. Tinha esquecido por alguns segundos de que não estava sozinha na minha encenação reunião. De repente veio aquela “ola” de arquibancada de estádio de futebol lotado (como é que esse menino consegue fazer tantas oscilações com apenas duas mãozinhas e dois pezinhos??)  lá das profundezas das minhas tripas para me lembrar de que meu corpo já não é todo meu.

Foi assim também quando minha sogra mostrou um vestido que havia costurado para mim e menti descaradamente (tudo pelo casamento):

– Que lindo! Amei! – enquanto me esforçava para que o conjunto expressão facial + voz convencessem a todos os presentes de que eu realmente estava agradecida por receber aquela capa colorida de butijão de gás de presente.

Mas assim que terminei a frase, o bebê deu duas piruetas que me desconcertaram e derrubaram minha máscara de ternura. Perdi a concentração no papel de nora-agradecida e meus olhos denunciaram meu verdadeiro pensamento: “que merda é essa? não vou usar nem a pau”. O bebê não gosta de mentiras. Nem as “sociais”.

É quase assim como quando não estamos sozinhos e um pum (daqueles que fazem barulho) escapa, sem mandar aviso. É uma espécie de motim dentro do seu corpo, que produz sonse movimentos que você não controla. Como vomitar, tropeçar, ter dor de cabeça, lembrar de alguém ou algo que você gostaria de poder deletar para sempre da sua memória.

A grande diferença é que os movimentos do bebê têm um lado bom. Bom, não. Um lado maravilhoso. Os chutes e socos funcionam como uma espécie de código entre mãe e filho, como sinais (doloridos) de fumaça que o pequeno habitante do útero envia diariamente para dizer que está tudo bem. São esses movimentos que tranquilizam a mamãe, ansiosa pela próxima ultrassonografia.

Por isso, acima de tudo, essa atividade é muito bem-vinda. Em alguns períodos do dia, a movimentação já é  até rotina. São momentos “pré-agendados” e nessas horas não sinto aflição alguma. Aproveito para interagir com meu filhote.  À noite, por exemplo, o bebê sempre realiza seu carnaval particular dentro do trio elétrico do útero. A festa del começa quando finalmente termina o meu dia de trabalho. Assim que encontro uma posição relativamente confortável com a ajuda de três travesseiros estrategicamente posicionados. No momento em que começo a pegar no sono, o foliãozinho passa a pular na cama elásica e rodopiar para todos os lados num festival das suas melhores acrobacias. Amo cada segundo de sua exibição e tenho vontade de aplaudi-lo.

No fim do dia, quando o papai chega do trabalho e conversa com ele. O bebê fica agitado ao ouvir aquela voz grossa e cheia de promessas de um mundo repleto de brincadeiras, meias jogadas pela casa, sorvetes no almoço e tardes de futebol (estou deixando pra contar a verdade quando ele estiver aqui fora).

Cedinho, logo depois do café da manhã, ele dá soquinhos doloridos enquanto lavo o espremedor de laranjas e arrumo a cama.

Tem sido assim há pelo menos dois meses. Sem falha. Sem quebra de contrato. Até que um dia o bebê decidiu fazer greve.

bebe_shhhSe foi praga daquelas que seguem o Manual de Boa Conduta das Gestantes Modelos; se o bebê decidiu dar uma lição em mim após ouvir a palavra “aflição”;  ou se era dia de limpar a cama elástica, eu não sei. O pequeno habitante ficou em silêncio durante horas, para minha agonia. Depois do habitual copo de suco de laranja no café da manhã: nenhuma mexida. Almoço com direito a um cochilo e nada de soquinhos ou pulinhos. Senti muita falta dos movimentos e fiquei preocupada. Já no final da tarde, quando tudo continuava quieto, apelei para a estratégia de tomar um copo de vitamina de frutas e deitar logo em seguida, de barriga pra cima. Num dia normal, o bebê teria promovido uma verdadeira rave uterina depois de saborear aquele coquetel calórico de sabores variados. Mas nada aconteceu. Nenhum soquinho ou pulinho. Nem soluço. Silêncio total. Liguei para minha médica e ela estava numa cirurgia. Deixei recado, aflita. Ahá! Agora assim vai descobrir o real significado da palavra aflição, hein? Castigo!

Liguei para minha mãe e ela disse que isso é normal, que o bebê pode passar um dia mais calmo. Que talvez ele estivesse cansado das estrepulias dos dias anteriores e havia resolvido tirar o dia pra dormir. Perguntou se eu tinha comido ou feito algo diferente. Eu disse que não. Ela tentou me tranquilizar, mas não conseguiu. Conversei com o bebê, pedi a ele que se manifestasse, mandasse um torpedinho, um e-mail, uma tuítada que fosse. Nada. Silêncio.

Resolvi tentar novamente a estratégia que sempre havia funcionado: fiz uma rápida e intensa caminhada, tomei banho, comi duas bananas e deitei de novo. Movimentação + alimento + repouso costumava ser uma combinação perfeita para fazer o bebê ficar agitado. Finalmente funcionou. No início da noite, deitada no sofá, olhos fixos na barriga, senti um chute, seguido de uma sessão completa de alongamento de bracinhos e perninhas. Curti cada um, enquanto as lágrimas desciam sem controle.

Logo em seguida o telefone tocou. Era a médica, atendi chorando e expliquei BebePositivoo que havia acontecido e que agora estava tudo bem. Ela disse que era normal não sentir o bebê durante algumas horas, mas que se o período ultrapassasse o prazo de um dia eu deveria procurá-la imediatamente. Ela pediu para eu continuar monitorando a movimentação dentro do útero. Se meu filho ficasse muito tempo quieto de novo, eu deveria telefonar para ela outra vez. Mas depois daquela pausa de quase um dia nas atividades, o pequeno hóspede nunca mais ficou quieto por mais de duas ou três horas e voltou à rotina de festas e exercícios. Mexe, amor, mexe que é bom! Mesmo quando dá aflição, é bom!!

Anúncios

Entry Filed under: Gestação,Histórias de grávida,Sintomas da gravidez

29 Comments Add your own

  • 1. Dri Viaro  |  08/09/2009 às 10:11

    Bom dia como vai sua tia?
    Tô na correria de sempre, mas mesmo assim vim te
    desejar uma semana abençoada
    bjomeliga

  • 2. Juliana  |  08/09/2009 às 10:53

    tb passei por isso… no meu caso cheguei até o consultorio depois de um periodo de desespero e medo achando que algo tinha acontecido…
    foi quando a medica colocou a mão na barriga para fazer o exame o danadinho começou a dar cambalhotas!!! e eu passei é lógico, por mãe mentirosa e maluca rsrsrs
    bjinhos em vc e no seu pequeno!

    • 3. blogdagravida  |  08/09/2009 às 11:07

      Hahahaha isso tá parecendo o que acontece com o meu computador. Faz dias que ele trava o tempo todo. É abrir o navegador e o bicho desliga sozinho. Depois não quer ligar de jeito nenhum. Horas depois liga. Daí chamei o técnico e ele ficou dois dias com o computador, fazendo mil testes. Adivinha? O computador não travou nenhuma vez!!!! kkkkk Fiquei envergonhada até! Parece que sou uma doida que não tem o que fazer e gosta de ficar ligando pra técnico de informática, né? Só pra receber visita kkkk

  • 4. greice  |  08/09/2009 às 11:15

    hehehe… Não sei se é comum, mas eu também tinha aflição com algumas mexidas mais bruscas. Minha menina mexia bastante, mas era tranquila perto do Henrique. Por diversas vezes eu achei que eu ia entrar pra história como o primeira grávida que precisou de transplante de fígado por perda total depois de um chute do bebê, ou que ia ter minha bexiga chutada pra fora do corpo…rs. Sério, no final da gravidez eu cheguei a chorar de desespero à noite, que era quando ele fazia a festa na barriga.
    E cheguei a passar por várias situações constrangedoras no trabalho por causa das piruetas dele, como um dia eu em pé ao lado da mesa de uma colega, discutindo algo importante e o rapaz resolve se locomover de repente e parar todinho do lado direito da minha barriga, me deixando só “meia” grávida, a metade da direita apenas…rs.
    Beijos

    • 5. blogdagravida  |  08/09/2009 às 11:17

      Obrigada, Greice! Estou me sentindo menos culpada por ter aflição ehheheheBoa semana!

      • 6. Lu Brasil  |  08/09/2009 às 11:35

        Rá, típico.

      • 7. blogdagravida  |  08/09/2009 às 11:53

        Como assim “rá, típico”? Me senti uma idiota agora…kkkkkkkk (agora e sempre kkkk) Beijos, Lu!

  • 8. Liane  |  08/09/2009 às 12:02

    Eu já passei por isso e fui parar no hospital…kkkk
    Você havia me perguntado sobre a babá eletrônica. Então a minha é da Fisher Price, acho que som e luz, o mesmo modelo que coloquei a foto no blog. Olha pra mim pega super bem, apesar dos chiados, que agora acostumei. Eu nnão sei como funciona a babá eletronica de vídeo, mas se tiver que colocar dentro do berço é melhor pensar duas vezes antes de comprá-la.
    Beijos

  • 9. Aline  |  08/09/2009 às 13:44

    Oi colega de barriga!! Amei teu post de hoje, sobre os movimentos do bebê, té me emocionei… eu lembro que neurotizei quando achei que tava demorando muito pra começar a sentir, depois até falei pro meu marido: “depois vou neurotizar quando ele ficar quieto muito tempo…” e já aconteceu mesmo, final de semana passado, eu comecei a ficar preocupada, mas quando o nível de neura ia atingir picos extremos ele dava um sinalzinho, como quem diz: Calma mãe, hoje só tô mais zen!! he he… Ah, e me diverti muito com a visita ao sítio também!! Essas fugidas são tudo de bom, né? Beijão pra vcs e té qualquer hora!

    • 10. blogdagravida  |  09/09/2009 às 9:45

      Poizé, eu já tinha lido e ouvido que quando o bebê fica maior, mexe menos. Ok. Só que ele ainda não está tãoooo grande, né? Então eu tinha certeza de que não era falta de espaço. Além disso, na véspera ele pulou que nem pipoca o dia todo. No dia seguinte parou total. Minha mãe tem razão. Ele pulou tanto num dia que tirou o dia seguinte pra descansar e recuperar as energias kkk Beijo!

  • 11. Renata  |  08/09/2009 às 14:29

    Curte muito essa aflição! Por incrível que pareça, depois a gente sente uma saudade da barriga e das estripulias do bebê dentro dela….
    Boa semana!

  • 12. naninha  |  08/09/2009 às 15:24

    Amiga fofa da minha vida…
    O bebe é como a gente… so q numa versAo aquatica…. tem dias mais agitados e outros menos… dias de festa e dias de ressaca…
    tua medica foi muito gente boa…te explicou o limite que vc deve esperar de silencio dele e como proceder se ele se calar por muito tempo… as vezes os bebes se escondem de nós…

    Mas enfim… a afliçao e o medo do silencio sao normais tambem…
    ë uma delicia, mas tem dia qe incomoda memso.. ué?! normal!mania desse povo de achar q mãe é santa e nem direito de achar estranho um serzinho se mexendo dentro de nós a gente tem?!

    ë nosso corpo… por mais modificado q esteja.. continua sendo nosso corpo! E a as vezes a gente acha estranho q mexam nele… dentro ou fora dele… normalllll…

    rsrsrsr!

    bjo bjo

    naninha

  • 13. Amanda  |  08/09/2009 às 17:03

    Exatamente como me sinto. No meio de uma reunião de trabalho, aquele chute estratégico…. Meu filhote se esticou um dia espremendo a bexiga e meu intestino, quase não consegui chegar no banheiro, naquele dia sirene teria sido pouco, o bom é que eu estava em casa. Teve outro episódio em casa também, mas daquela vez não consegui, acho que depois de muitos anos, talvez 20 anos ou mais fiz xixi na calça… Pois é, não é fácil, mas amomuitotudoisso…

    • 14. blogdagravida  |  09/09/2009 às 0:23

      Puxa…outro dia eu pensei isso, sabia??? Pensei: “será que tem grávida que faz xixi na roupa? por que eu sinto que ainda vai acontecer comigo…”. Menina….e não é que acontece!!!??

      • 15. Amanda  |  10/09/2009 às 15:35

        Hahahaha Relaxa, acredito que todas nós vamos passar por isso…

  • 16. Ritinha  |  08/09/2009 às 21:48

    Vc não é a primeira grávida que “escuto” falar isso e com certeza não será a última… hahahaha… é bem normal esses sustos.
    Menina, aflição? Meu Deus! To perdida então… se já morro de aflição de sentir soro correndo na minha veia (siim, eu sinto e morrooo), agora fiquei com medo de quando estiver grávida… oh céus! hahahah
    Beijos!

    • 17. blogdagravida  |  09/09/2009 às 0:22

      Ritinha, lembre-se que no caso do bebê tem um lado bom!!! É esquisito, mas é maravilhoso (diferente de sentir o soro …argh..também tenho agonia kkkk) Beijo!

  • 18. Kira  |  09/09/2009 às 2:09

    Seu comentário só me deixou com mais medo! hahaha
    Mas sou tapada sabe?lerrda que só vendo, mas acho que nem tanto!
    O problema é que tem gente que a bolsa não chega a estourar, ai que mora o perigo, porque não sou de reclamar e sou até ‘forte’ pra dor, tenho medo de acontecer que nem sua amiga, hahaha!
    Esse fim de semana minha sobrinha de 6 anos estava no sofá comigo, e falou ” tia você fez xixi na roupa?” e eu pensei ” PRONTO A BOLSA ESTOUROU E EU NÃO SENTI!!!” dai fui ver era refrigerante que tinham derrubado no sofá…HAHA Nisso eu já estava SUPER desesperada!

    E eu também sinto super aflita quando o bebê meche, mas não simplesmente mecher, mas sim quando forma ‘calombo’ na minha barriga…da medinho!

    Beijos

    • 19. blogdagravida  |  09/09/2009 às 10:01

      Hahahahaha ótima! Achar que o refrigerante derramado era a bolsa kkkk Escreveu sobre isso? Deveria…é hilário! Já estou me imaginando no finalzinho da gravidez, achando que tudo é contração, tudo é bolsa rompendo, tudo é o nenê nascendo…

  • 20. Andréia  |  09/09/2009 às 2:50

    …”conjunto expressão facial + voz convencessem a todos os presentes de que eu realmente estava agradecida por receber aquela capa colorida de butijão de gás de presente.

    hahahahahhahahahaha Eu me divirto com você amiga!

    Beijão!

  • 21. Dri Viaro  |  09/09/2009 às 9:05

    ô mulher desesperada, o muleke ou moleka não pode ter um dia de ressaca que a mãe já fica apavorada.kkkkk
    é assim mesmo amiga, as vezes eles ficam preguiçosos e quietinhos, as vezes o espaço já tá ficando pequeno e tal, mas sempre tem que estar atenta e vc está certíssima de ter ligado pra médica. Ah ele já faz a sua barriga ficar deformada qdo vc deita a noite? nossa minha barriga ficava completamente torta, as vezes acho que ele levantava o joelho ou o cotovelo, ficavam umas bolas assim, é muito comédia heheheh
    mas ah eu não sinto saudades não viu, prefiro deixar isso pra quem é mamãe de primeira viagem e as muulheres que querem mais filhos. Mas um coisa te digo, cada gravidez é diferente e sempre tem algo que a gente fica apavorada assim que nem tu rsrsrs
    bjssss pra vcs

  • 22. Dri Viaro  |  09/09/2009 às 9:06

    ah beb?e da grávida vê se hoje faz uma batucada por aí tá? rsrs
    bjinhos pra vc baby lindo

    • 23. blogdagravida  |  09/09/2009 às 10:02

      O batuque foi de madrugada, Dri. Acordei com ele saltando de um lado pro outro. Doeu muito. Depois parou, sossegou, dormiu umas duas horas e aí começou de novo. Não parou até agora. A barriga tá toda pro lado esquerdo hoje uahauaha

  • 24. Anne  |  09/09/2009 às 10:22

    eu não tenho aflição, ainda que as mexidas por aqui tenham sido bem de leve por enquanto. mas posso pagar a boca por me achar sem aflição e com essa vontade louca de ter uma rave uterina com socos doloridos e solavancos tão fortes que o papai possa sentir do lado de fora! eu não vejo a hora que isso aconteça por aqui.
    Tbm morro de medo de algo estar errado qndo não sinto as tremidinhas… ontem mesmo eu não senti nada até a tarde e fiquei com medo de ter acontecido algo só pq eu me abaixei rs… mas dai logo as tremidinhas voltaram! ufa!
    beijosssssss!

  • 25. Analuz  |  09/09/2009 às 16:20

    Gravidona!
    Isso é normal mesmo e primeira vez que o bebê não se mexe é inesquecivel! Eu tb postei sobre isso la no Jounal (http://journalbebe.blogspot.com/2009/01/comeando-bem-o-ano-de-2009-alou-mame.html) e eu fui mais além! Ao inves de ligar para a medica, eu fui direto na maternidade (eheheh, fica a 200 metros daqui de casa, do lado!) e so sosseguei o faixo depois que fizeram a ecografia. Coisas que so uma gravida pode entender! Beijos!

    • 26. blogdagravida  |  09/09/2009 às 17:45

      Obrigada, me sinto menos doida quando alguém admite que também surtou hehehehe Beijo!

  • 27. Laura  |  09/09/2009 às 17:44

    hahahaha
    adorei as ilustraçoes
    Bebedocinha tambem resolvia dar seu triplo carpado no meio da rua, no supermercado, em qualquer lugar onde o povo ate parava pra ver o que estava acontecendo. Agora, bebê lerdo fui eu, minha mae conta que eu passava ate tres dias sem dar sinal de vida.
    Bjsss

  • 28. Thaty  |  09/09/2009 às 23:50

    Tava relendo seu post e lembrando de uma matéria que li no G1 sobre uma menina que descobriu que estava grávida duas horas antes do bebê nascer. Esse bebê dela nunca mexeu? E se mexeu, o que ela achava que era? Me inspirei e fiz um post sobre isso! kkk

    Beijocas!

  • 29. Ana Medeiros  |  15/09/2009 às 0:00

    Eu sou mais uma que passou por isso. Mas sabe um truquinho?? Começar a tossir! Ele estava super quietinho e nada de reagir qdo eu falava, quando o pai falava, qdo eu me mexia,deitava..NADA!

    Ai lembrei que a medica da ultra do ultimo mes, me mandou tossir pra que ele saisse do lugar e ai foi quando funcionou!! Alivio imediato! rsrsrs

    Beijos


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to comments via RSS Feed

Páginas

Categorias

Agenda

setembro 2009
S T Q Q S S D
« ago   out »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  

Most Recent Posts

 
%d blogueiros gostam disto: