Posts tagged ‘sexo do bebê ‘




Meu menino

MininuHomiÉ menino. E é um menininho muito exibido. Assim que a médica ligou a aparelhagem e começou a ultrassonografia, ele esticou as perninhas e mostrou as partes pudentas. Parecia até estar preocupado em encontrar o melhor ângulo para mostrar o que tinha aparecido no meio das perninhas desde a última “espiada” que demos nele. Safadinho da mamãe! Um momento inesquecível que funcionou como uma espécie de marco na gravidez. Parece que saber o sexo do bebê torna tudo mais real.

Bom, pelo menos facilita a conversa entre nós dois (sim, nós conversamos muito, damos bom dia, boa noite, batemos papo no chuveiro, cantamos nossas músicas prediletas enquanto dirijo, trocamos ideias sobre o que queremos comer no almoço),  pois posso aumentar o vocabulário e ir além de “meu bebê”, “oi bebê”, “hey, baby”. Hoje já usei a variação“Oi, filhOOOO”.

Facilita aqui no blog também e nos e-mails. Pois não preciso mais me referir ao bebê assim: “Se ele (ela) puxou para mim”, “Hoje meu (minha) filho (a) chutou bastante”.  O recurso   (a) foi abolido.

Melhor que isso: agora poderei chamá-lo pelo nome. Nome que ele ainda não tem, pois os pais dele estão escolhendo com cuidado e carinho. Papai e mamãe sabem que é o primeiro presente que vão dar a ele, por isso tanto capricho na decisão, tanto empenho em escolher o melhor, o mais bonito, o mais sonoro, o mais numericamente-esotericamente-espiritualmente iluminado.  E também um nome que não facilite piadas, trocadilhos, apelidos jocosos. Sem falar no cuidado para não dar a ele um nome que lembre alguém que não tenha sido boa pessoa.

CartoonNomedoBebe

Mas ninguém parece ter sido avisado que o nome é escolhido pelos pais: TODO mundo tem mil opiniões sobre o assunto. Aliás, “Dê Palpite Sobre o Nome do Bebê” parece ser o próximo capítulo do Roteiro Básico de Conversa (Irritante) com uma Gestante. Demos um passo adiante no roteiro. Antes, geralmente estacionávamos no “meninoooo ou meninaaa?” Agora as pessoas podem ir além. Ao ouvirem a resposta “menino”, podem disparar a pergunta seguinte: “Como vai chamar?”

Se já houvesse um nome definido, o máximo permitido seriam comentários educados (mesmo que falsos): “Que lindo!”, “Que nome forte!”, “Era o nome do meu avô”. Claro que de vez em quando surge alguém para fazer comentários não tão polidos: “Eu tive um cachorro com esse nome”.

Por mais que eu capriche na dicção para ter certeza de que entendem minha resposta quando digo com todas as letras e entrelinhas: “Não escolhemos o nome ainda” , a maioria das pessoas sempre ouve algo totalmente diferente do que eu falei. É como se eu tivesse dito: “Não tem nome ainda, você quer dar algumas sugestões ou fazer piadas sobre o assunto?”

Tem gente que sugere verdadeiras listas de nomes. A sogra acha que o bebê deve receber o nome do pai, mesmo que seja pra ser conhecido apenas como “Júnior” a vida toda ou pelo diminutivo do nome original (para diferenciar pai e filho). Os outros parentes querem que seja  o nome do tatatatatatatatataravô que já morreu ou então sugerem a junção de pedaços dos nomes dos avôs maternos e paternos, para fazer uma bela homenagem (embora geralmente nada sonora). Aquele lindo bebezinho rosado seria conhecido a vida toda por combinações esdruxúlas como Marcelo Manoel ou Lindolfo Alessandro. Meu momento preferido é quando começam a unir pedaços dos nomes dos pais da criança para formar um novo nome, totalmente inédito no cenário dos cartórios de registro civil do Brasil.

– Que tal Pedraura? Junta Pedro do pai e Laura da mãe!

– Camila e Antônio dá o quê? Camônio….Antamila…Anila…

Apesar de ser a favor da criatividade e da liberdade de expressão, minha resposta para os mais íntimos (sempre acompanhada de um sorriso) é:

– Não, não tem nome ainda e não estamos aceitando sugestões no momento. Fechamos o departamento de sugestões e estamos concentrados em decidir. Assim que o nome for escolhido, você será avisado.

Mesmo assim tem gente que continua a sugerir nomes. Ah, em ordem alfabética.

Anúncios

50 comentários 14/07/2009

O sexo dos anjos

MeninoOuMenina3“Sua barriga mudou nos últimos dias. Está mais arredondada e linda! É menina.” – ouvi hoje, durante o jantar. Acho que essa foi a última previsão do sexo do meu bebê. Amanhã a ultrassonografia deve revelar a verdade, nada mais que a verdade. Então todos poderão se concentrar em outros tipos de crendices, como prever se o bebê será cabeludo, alto, baixo, chorão, a cara do pai, narigudo, jogador de futebol, religioso, alérgico.

Para me despedir dessa fase das especulações sobre o sexo, reuni algumas crendices e frases que ouvi durante a gravidez. E também algumas “simpatias” das quais fui vítima que fizeram comigo:

Se a barriga for pontuda e saliente, é gestação de menino.  Ventre arredondado, que cresce para os lados: menina. (Dica importante: desconsidere se a grávida anda abusando dos carboidratos, o que poderia – em circunstâncias menos esotéricas – ter provocado o surgimento dos “pneuzinhos”)

– Coloque uma colher numa cadeira e um garfo na outra. Cubra bem cada umcolhergarfo deles com panos. Quando a grávida se aproximar, peça para escolher uma cadeira para sentar. Se ela escolher a da colher, é menina. Se escolher a do garfo, é menino. (Dica importante: lembre-se de tirar os talheres antes da gestante sentar).

– Peça para a grávida mostrar as mãos. Se mostrar com as palmas para baixo, é menina. Se mostrar com as palmas para cima:menino. (Dica importante: desconsidere se a grávida não teve tempo de pintar as unhas e está com o esmalte vermelho descascado…o que poderia justificar a necessidade de mostrar as palmas das mãos, para esconder o fato de não ter encontrado a manicure nos últimos dias)

Se o bebê mexe muito, é menino. Se quase não mexe, é menina.

– “Você teve muita vontade de consumir alimentos ácidos, é menino. Vontade de doces seria menina”. (Assustadora revelação…já que tive vontade de comer alimentos ácidos no início da gravidez e doces a partir da 12.a semana. Jééééésuuus….será que o bebê fez operação de troca de sexo?)

“Se surgiram manchas na pele e acne, é menino”. Justificativa de quem me deu essa informação: “o menino sempre judia mais da mãe”.

No dia em que descobri que meu bebê havia sido gerado a partir do ovário direito (e paguei um dos muitos micos da minha gestação) minha obstetra comentou:

– Ah, se veio do ovário direito, então é menino!

Fiquei impressionada com a afirmação, pois nunca tinha ouvido falar que era possível saber o sexo do bebê a partir dessa informação. Então ela completou o raciocínio e revelou que estava brincando (a tonta aqui caiu que nem uma patinha na brincadeira, mas fez questão de pregar a peça em todos os parentes e amigos depois, é cla-la-ro!):

– Sim, pois neste mundo machista em que vivemos, preste atenção como são as coisas: tudo o que é bom, “DIREITO”, correto, perfeito, é masculino. O que é “TORTO”, imperfeito, é feminino.

Ri muito, concordei, e dei o troco na médica:

– Bom, eu já sei o sexo do bebê, pois consultei o Oráculo da Gravidez na internet.

Ela nunca tinha ouvido falar nisso e se divertiu com a informação de que era possível saber o sexo do bebê apenas com base na idade da mãe e a data de fecundação.

Bom, todos têm 50% de chances de errar e 50% de chances de acertar resumiu a doutora.

9 comentários 13/07/2009

Páginas

Categorias

Links

Meta

Agenda

setembro 2017
S T Q Q S S D
« fev    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

Posts by Month

Posts by Category