Posts tagged ‘madrugada ‘




Ansiedade

Sobre O Tempo

(Pato Fu)

Tempo, tempo mano velho, falta um tanto ainda eu sei
Pra você correr macio

Tempo, tempo mano velho, falta um tanto ainda eu sei
Pra você correr macio
Como zune um novo sedã

Tempo, tempo, tempo mano velho
Tempo, tempo, tempo mano velho
Vai, vai, vai, vai, vai, vai

Tempo amigo seja legal
Conto contigo pela madrugada
Só me derrube no final

Tempo, tempo mano velho, falta um tanto ainda eu sei
Pra você correr macio
Como zune um novo sedã

Tempo, tempo, tempo mano velho
Tempo, tempo, tempo mano velho
Vai, vai, vai, vai, vai, vai

Tempo amigo seja legal
Conto contigo pela madrugada

Só me derrube no final…
Vai, vai, vai, vai, vai, vai

—————————————————————————————–

Essa é a música que toca dentro da minha cabeça enquanto zanzo pela casa, todas as noites, insone e gasosa, como uma alma penada tamanho GG. Em vez de correntes, arrasto meus pés gordos e inchados, enfiados nas sandálias velhas herdadas de uma amiga ex-grávida. Canso logo e deito de novo. Mas os pensamentos vêm todos de uma só vez até a minha cabeça. Me atacam como moscas varejeiras sobre uma manga madura caída no meio da grama.

Quando será? Como será? Vai doer? Estarei sozinha? Saberei que é a hora? Vai correr tudo bem? Meu bebê será perfeito? Saberei cuidar dele? Será que aquela camisola vai servir? Eu não devia ter comido aquela tigela de sorvete com granola por que se eu parir no meio da noite vou vomitar tudo. Ele vai ter cólicas? Como é mesmo que limpa o saquinho do bebê? Ainda bem que não é menina, todo mundo fala que limpar pererequinha é mais complicado. Será que é melhor depilar amanhã pra garantir? Será que eu coloquei calcinhas em número suficiente na mala? Eu derrubo tudo no chão, como é que vou segurar uma coisinha tão pequena e frágil? Que vontade de comer comida chinesa…aff…são 3h da manhã já…hmmm…será que alguém entrega nesse horário? Olha esses pés…olha esses pés… Ai, uma pontada, será que é… ah…era um pum… Nossa, esse cara na tv me lembra aquele ex-namorado…ainda bem que eu não casei com ele, já pensou um filho cabeçudo assim no parto normal? Quando será que vou fazer sexo de novo? Será que ele vai ter alguma alergia? Nossa, que ansiedade, será que é hoje? Pensando bem, aquela manta…hmm…melhor checar a mala do bebê…de novo. Será que ele é cabeludo? Ai, que céu lindo, muito lindo…será que é hoje? Tô com premonição…ou são gases? Será que ele vai mamar numa boa, sem problemas? Pensamento positivo…pensamento positivo…se concentra, só pensa em coisas boas para atrair coisas boas… Melhor imaginar o pior acontecendo, melhor ser realista, assim se acontecer o pior estarei preparada… Meu Deus, vou dormir, não aguento mais ver esse filme no Universal Channel, há 4 madrugadas só dá ele na programação. Que saudade eu vou ter desta barriga. Olha esses pés!!! Não tem ninguém no Messenger!  Será que ele vai ter cólicas? Como é mesmo que limpa o umbiguinho?

36 comentários 24/11/2009

Grávida e com olheiras

Grávida dormindoNo príncipio, era o sono, que agora deu lugar a uma insônia intensa. Dois sintomas originais de fábrica, que já vem instalados na grávida, conforme assuntei por aí em pesquisa informal com ex-gestantes. Mas não se desespere se você não sente ou não sentiu (sono e insônia). Não tem nada errado com você. Pois é claro que há exceções, casos em que talvez os sintomas tenham sido danificados numa batida leve ou furtados durante a noite. Mas é quase regra que grávidas tenham  esses dois acessórios acoplados: sono e insônia. Isso já não acontece com os chamados sintomas opcionais, que acometem um número reduzido de sortudas, como é o caso de coceira braba na zona sul (éééé…lááá, você sabe onde, conhecida também como “área de lazer”) ou desejo incontrolável de comer tijolo às três da manhã, por exemplo.

No início da gravidez eu só pensava em dormir. Deitava assim que anoitecia e levantava pouco antes do almoço, na marra. Só saía da cama por que sentia muita fome. Sono e fome brigavam dentro de mim até o estômago roncar tão alto que ficava impossível dormir com aquele barulho todo que vinha da minha barriga, então era obrigada a me arrastar até a geladeira. Dormia tantas horas seguidas e tão profundamente que meu marido sofria, achando que eu havia entrado em coma. De vez em quando ele abria a porta do quarto, me acordava devargazinho, tentava despertar a Grávida Adormecida. Mas não queria saber de príncipes, nem de sapos. Minha paixão eram os travesseiros. Então eu resmungava, virava pro lado e continuava dormindo. Parecia que estava dopada. Quando conseguia sair da cama, continuava  fadigada, sentindo sono, cansaço e falta de energia.

Durou pouco aquela festa na cama.Por que a super bexiga de grávida entrou em ação. Comecei a levantar várias vezes durante a noite para fazer xixi e isso cortava o sono, destruía o entorpecimento. Mesmo assim, ainda dormia muito. Mas aos poucos a sonolência exagerada foi passando e voltei ao habitual dormir cedo e acordar cedo, pelo menos 8 horas por noite.

Insônia

No início do terceiro mês de gestação comecei a sofrer de insônia. Comentei insoniacom algumas amigas e a maioria disse que teve isso também. Problema que dura até hoje, nas minhas mais de 18 semanas de gravidez. Não tenho vontade de dormir, fico lutando contra o sono, quero ficar acordada o máximo que puder. Não deito antes das 2 horas da manhã. Quando o sol aparece, já estou de pé novamente, sem precisar de despertador. Durmo no máximo quatro horas por noite. À tarde o sono bate pesado, mas não posso deitar, tenho que trabalhar. A primeira vez que isso aconteceu, passei a tarde sonhando acordada com a minha cama e me imaginando deitada em cima dela. Pensei que chegaria em casa e desabaria de sono. Mas não aconteceu. Assim que consegui deitar, o sono passou. O corpo estava cansado, mas a cabeça funcionava sem parar e não me deixava dormir.

Não tomo cafeína desde o início da gravidez, então não é isso que atrapalha. Tentei todas as dicas que ensinam para curar insônia. Mas nada adianta. E  a aflição aumenta cada vez que ouço (e as pessoas dizem tanto isso que eu estaria milionária se ganhasse um dólar cada vez que escuto) “Aproveite para dormir agora, por que depois que o bebê nascer…vixe…você nunca mais vai dormir direito”.

4 comentários 22/06/2009

Fome de madrugada

Fome na madrugada: eu não tinha isso antes de ficar grávida!

Fome na madrugada: eu não tinha isso antes de ficar grávida!

Cinco e meia da madrugada. Frio. Muuuito frio. De pijama, meias, enrolada embaixo de dois edredons. Sou acordada pelo súbito desejo de comer pão com manteiga e queijo na chapa. Uma caneca de leite quentinho surge também na minha imaginação faminta. Viro para o lado. Não quero sair daqui, está tão bom! A cozinha é gelada!!! Cinco e meia da madrugada, hoje é domingo, posso dormir até meio-dia, pra que acordar tão cedo???

Foco minha atenção no conforto da minha cama quentinha. Mas posso jurar que sinto cheirinho do pão na chapa. Abro os olhos rapidamente, presto atenção nos sons à minha volta. Aparentemente não tem ninguém na cozinha, tudo está quieto. Será que meu marido não teve uma transmissão de pensamento, acordou, levantou, preparou meu sonhado pãozinho com leite e vai aparecer ali na porta com tudo numa bandeja?  Assim vou saciar meu desejo sem sair debaixo do edredon. Será? Olho para o outro lado, ele dorme profundamente. E se eu ajudasse nessa “transmissão de pensamento”? Afinal, é madrugada, está frio, o sistema paranormal do casal deve estar meio congelado. Uma cutucada acidental pode acelerar o processo. Daí ele faz o papel de marido prestativo da grávida “fresca”, pergunta se estou bem e eu digo: “Ah, não estou, não consigo dormir de tanta fome. Se eu pudesse comer um pãozinho com leite agora…”

Ergo o braço, aponto pro meio das costas…Não, não  posso fazer isso. Viro para o outro lado, tento dormir de novo. Imagino a cozinha gelada, o chão frio. Não é justo que eu levante pra resolver isso. Afinal, quando o bebê nascer, ele vai ter de acordar de madrugada pra me ajudar, é bom ir acostumando, não é? Viro de novo e ouço a respiração despreocupada do meu marido. Aiiii, não tenho coragem. Que tipo de grávida auto-suficiente sou eu que não pode aproveitar da situação nem um pouquinho? Grrrr…

Afasto o edredon lentamente e sinto as ondas de frio que vem da porta do quarto, semi fechada. Me enrolo no roupão quentinho, calço as pantufas e me arrasto até a cozinha. Enquanto o fogo esquenta a chapa e o micro-ondas aquece a caneca de leite, corto o pão no meio e concluo: Vai ver tudo isso é parte do treinamento da gravidez, para a mãe já ir acostumando a ser acordada pela fome de madrugada. É, só que daqui a alguns meses, a fome que vai me acordar não será minha. Bom, pensando bem, esta fome de agora já não é minha. Oh, Deus, meu bebê já está no controle, não é mesmo?

Add a comment 17/05/2009

Páginas

Categorias

Links

Meta

Agenda

junho 2017
S T Q Q S S D
« fev    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

Posts by Month

Posts by Category